Montes, Glaciar Viedma e novo “record do mundo”…

A última vez que escrevi aqui no blogue foi dia 11/3. Passaram só 4 dias, mas a mim parece-me que foi há tanto, tanto tempo. É que muito aconteceu, desde então.

Fui desde El Calafate até El Chaltén (onde a internet, virtualmente, não existia…), deixando para trás o Glaciar Perito Moreno e o Lago Argentino. Viagem pequena, de quase 300kms.

El Chaltén é considerada a “capital argentina do trekking”… e eu, com o gémeo a recuperar.

A cidade é pequena, mas linda. 1000 habitantes, e sempre (pelo menos…) outros tantos visitantes. Todos para fazer caminhadas, maiores ou menores, pelos montes que circundam a cidade.

Monte Fitz Roy, quase 3400 mts, e o principal atractivo da cidade.

Monte Fitz Roy, quase 3400 mts, e o principal atractivo da cidade.

Além do “Cerro Fitz Roy”, os outros atractivos da cidade são: o “Cerro Torre” e o Lago e Glaciar Viedma.

Fiz uma caminhada pequena, 1:30 na ida e 1:00 na volta, até um mirador, onde se pode ver a “Laguna Torre” mais de perto (o trilho completo leva 4 horas só na ida, por isso decidi poupar a perna e fiz a “parte pequena” do trilho).

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Valeu a pena a caminhada, especialmente pela paisagem e pelas “vistas”…

O dia acabou com um retemperador “Estofado de cordero“, do melhor que já comi na Argentina.

Image

No dia seguinte fui até ao Lago Viedma, andar de barco e ver o Glaciar Viedma.

Definitivamente, fiquei fã de glaciares!

Image

Image

Diferente do “Perito Moreno”, mas muito bonito, especialmente os pedaços de gelo que se soltam e ficam a flutuar no lago.Image

Image

Image

Image

Depois foi tempo de “refazer” a mochila e partir para San Carlos de Bariloche, de autocarro. Saída às 5 da manhã de dia 14/3 e chegada hoje, 15/3, pelas 8 da manhã. 28 horas dentro de um autocarro? Sim, e o record do mundo batido, novamente.

Image

Já percebi que vou gostar de “Bariloche”. O Hostel é muito engraçado e a cidade parece uma pequena cidade dos Alpes…

Nos próximos dias falarei sobre a cidade, as caminhadas (e voltas de bicicleta…) e … Nazis. Isso mesmo, Nazis.

Até lá, deixo um agradecimento a todos os que têm a paciência para vir aqui ler os relatos da viagem (ainda sem corridas, mas até essas vão voltar em breve…). Agradecimento, também para todas as mensagens e emails que me enviam (Obrigado D. Elisabete, pelas suas palavras tão simpáticas…).

Até breve.

Anúncios

3 responses to “Montes, Glaciar Viedma e novo “record do mundo”…

  1. Força, Tó! E estou a controlar o Sporting não precisas de te preocupar aí longe 🙂

  2. Olá António,
    Vais continuar aí pelas “Americas”?
    Continua a colocar fotos que estou a gostar!

    Bjs e diverte-te

    Rita

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s